sábado, 4 de fevereiro de 2017

                                              CACHOEIRA DO RIO GUACA

Cachoeira do rio Guaca, depois de algum tempo lendo sobre esse lugar tive a oportunidade de conhecer.
É um lugar bem tranquilo, fica próximo ao km 85 da Mogi Bertioga
Super fácil de encontrar. Chegando nesse km tem a ponte onde você possa por cima e a entrada estará a sua direita no final da ponte, só passar por baixo e você já ve a trilha que não tem mais do que poucos metros.
Vale a pena conhecer.







domingo, 22 de janeiro de 2017

LAGO DOS ANDES PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO MAR

Depois de meses namorando a foto daquele imenso lago pelo Google Earth consegui finalmente em meados de setembro de 2016 acertar nossa nova aventura, o LAGO DOS ANDES na região do Parque Estadual da Serra do Mar
Para está empreitada estavam comigo meus amigos Eder e Jefferson.
Partimos naquela manhã nublada bem cedo rumo a Mogi das Cruzes onde embarcamos no bús Manoel Ferreira, que nos deixaria no famoso bar do km77
Ao chegar não demoramos muito apenas um lanche rápido e partimos na rodovia Mogi Bertioga sentido litoral em 40 minutos chegamos na entrada da trilha da cachoeira da Pedra Furada, adentramos a mata e em um passo rápido seguimos nosso caminho.
A ideia era passar pela cachoeira da Pedra Furada e chegar até a cachoeira da Light, como eu já conhecia a trilha para a Light não perdemos tempo e em certa de 1:50 de caminhada estávamos la Light, antes disso porem no meio do caminho encontramos meu amigo Augusto do blog thttp://trilhasetrips.blogspot.com.br/, ele seguiu conosco até a Light de lá iria tentar chegar a Pedra do sapo por uma trilha alternativa.
Chegamos na Light e apos algumas fotos  nos despedimos do Augusto atravessamos o rio Sertãozinho e seguimos por uma trilha que segue margeando o rio pelo seu lado direito, seguimos até onde o rio faz uma curva brusca para a esquerda, dai para frente abandonamos a margem do rio e seguimos em vara mato na direção nordeste, sempre nos orientando pela bussola 
Não foi nada fácil, um percurso de cerca de pouco mais de 3 kilometros gastamos umas 3 horas , mas sempre andando com prudencia e atenção para não acabarmos perdidos.
Finalmente ja no inicio da tarde encontramos o Lago, ficamos muito felizes pela conquista, um lago enorme e totalmente isolado em meio a mata o que o torna bem preservado.
Depois de varias fotos montamos acampamento, preparamos nossa janta a medida em que a noite chegava, acendemos uma bela fogueira conversamos bastante contando historias de nossas aventuras e fomos dormir. Me lembro de acordar pós volta de 03:00 horas da manha sair da nossa tenda e ficar ali perto da fogueira admirando aquele lugar e muito feliz por mais este feito.
No dia seguinte desmontamos acampamento e já com as mochilas nas costas exploramos os arredores do lago e pegamos o caminho de volta, foi muito engraçado no trecho de volta pois encontramos vários grupos de trílheiros seguindo para a Pedra Furada, inclusive de conhecidos meus.
O Lago dos Andes é realmente lindo recomendo para os amantes da natureza, lembrando que fizemos de uma forma radical com vara mato a partir da cachoeira da Light, mas sei que existe uma trilha que sai a partir do km 79 passando pela casa do falecido Sr. Geraldo conhecido como Lobisomem












segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

                                                    CADA LUGAR COM SUA MAGIA

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

                                                   Cachoeira do Véu da Noiva Perequê

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

                                                           Vem ai: Cunha x Ubatuba

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

                               Cachoeira do Elefante com o pessoal do Lookosportrilhas

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Olá Queridos!
As pessoas sempre me perguntam sobre que nível é determinada trilha, porque costuma-se usar o termo fácil, médio, difícil para classificar as trilhas e assim as pessoas saberem se são capazes de faze-las ou não. Mas a minha opinião como sempre digo é que isso é relativo, porque não tenho como saber que parâmetro foi usado para classificar determinada trilha, a verdade é que depende muito do condicionamento de cada pessoa, porque uma mesma trilha pode ser fácil para uma pessoa devido ao seu bom condicionamento e muito difícil para outra com um condicionamento inferior.
Por exemplo, a algum tempo chamei um amigo para fazer uma trilha, ele nunca tinha feito trilha alguma mas topou o desafio e mandou muito bem, teve o mesmo desempenho das outras pessoas que estavam no grupo e que já faziam trilhas a muito tempo. Obviamente ele tem um ótimo condicionamento, então acredito que vai de pessoa para pessoa.
O ideal é procurar passar o máximo de informação possível sobre a trilha a ser feita para que a pessoa tenha noção do que terá pela frente e também procurar extrair o máximo possível de informação de como esta o condicionamento dessa pessoa, e assim tentar evitar qualquer tipo de problemas.
O ideal é que ao fazer uma trilha a pessoa se sinta bem, se sinta em sintonia com a natureza e com o grupo!
Grande Abraço.

Maciel Nazareth.